Capela do Palácio dos Governadores

CAPELA DO PALÁCIO DOS GOVERNADORES

   Desde o século XIV, o termo capela é atribuído a pequenas igrejas públicas, consagradas à Virgem Maria ou a santos apresentando um altar e sem pias batismais. Quando era unida a uma casa, um colégio, uma residência ou a uma instituição pública a capela era um oratório e um local de culto, frequentada também pelos moradores das redondezas. Em 1616, a primeira capela do Pará foi construída com a chegada dos portugueses. Era uma ermida em honra à Nossa Senhora das Graças erguida no interior do Forte do Presépio.

   Em 1772, a capela do Palácio dos Governadores foi inaugurada. Ela era usada pelos residentes do prédio: o Capitão-Geral e sua família que assistiam aos serviços religiosos nas tribunas existentes no primeiro andar, às vezes, acompanhados por altos funcionários da capitania e por convidados. Esta capela era, algumas vezes, aberta ao povo (escravos e índios) que utilizava o pavimento térreo junto com os servidores do prédio (soldados, homens livres, entre outros).

    Em 1890, foi desativada e transformada na Tesouraria da Fazenda. Com as inúmeras intervenções feitas no Palácio, sua localização original foi perdida. Em 1974, na cerimônia de reintegração da capela do Palácio ao culto católico, o Arcebispo Metropolitano de Belém, D. Alberto Gaudêncio Ramos, a incluiu na categoria de oratório, pois estava destinada, principalmente, a uma comunidade de fiéis.

    Em 08 de setembro de 1793, o governador Francisco de Souza Coutinho mandou realizar missa na capela do palácio em agradecimento ao milagre de cura que atribuía à Virgem de Nazaré. Em agradecimento, o governador prometeu conduzir um círio pelas ruas de Belém em uma procissão entre o Palácio dos Governadores e a pequena ermida na qual se conserva a imagem da Virgem. Configurando-se como o primeiro Círio de Nazaré.

    A capela foi atribuída a Nossa Senhora da Graça, já que não se descobriu o santo ou a santa aos quais a capela havia sido dedicada. Atualmente a capela do Palácio pode ser utilizada para realização de pequenos ritos litúrgicos ou atividades culturais que dialoguem com sua identidade.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s